IPAM apresenta 2º Barómetro da Indústria Farmacêutica
30 junho 2023
O IPAM, em parceria com a revista Marketing Farmacêutico, desenvolveu um barómetro para avaliar o sentimento dos profissionais da indústria farmacêutica. A avaliação do sentimento foi feita via a medição dos níveis de confiança na indústria farmacêutica e potenciais constrangimentos.

O questionário avaliava o sentimento dos participantes do estudo em duas vertentes: uma ao nível do sentimento dos participantes relativamente à indústria farmacêutica (perspetiva para a atividade farmacêutica para os próximos 12 meses, perspetiva para a atividade farmacêutica para os próximos 3 anos, Net Promotor Score e perspetivas de investimento no próximo ano) e outra visava identificar constrangimentos percecionados da indústria farmacêutica (incerteza fiscal, evolução da economia, aumento da concorrência, aumento do preço das matérias-primas, ambiente laboral, dividas de setor público, alteração dos preços dos medicamentos, diminuição do headcount, desinvestimento no SNS).

Como resultados, foi possível observar que, na generalidade, existe uma perspetiva positiva para a indústria farmacêutica para os próximos 12 meses. De facto, 62% têm uma boa ou muito boa perspetiva relativamente à indústria farmacêutica para os próximos 12 meses. Menos de 1% tem uma perspetiva muito má e 37% da amostra tem uma perspetiva má, poder-se assim verificar que 38% da amostra tem uma perspetiva negativa. Conclui-se, assim, que existe um clima positivo a curto prazo para a maior parte dos elementos da indústria farmacêutica.

Quando se faz uma análise levando em conta a ocupação profissional pode-se verificar que existe diferença estatística entre os profissionais da área do marketing e os profissionais da área comercial e diretores e administradores. Estatisticamente não existe diferença entre os profissionais da área comercial e diretores e administradores, a sua avaliação é idêntica. Os participantes que trabalham na área do marketing são os mais positivos, 85% tem uma perspetiva positiva relativamente aos próximos 12 meses. Pouco mais de metade, 52%, dos profissionais da área comercial, diretores ou administradores das empresas da área da indústria farmacêutica têm uma perspetiva positiva.

Quanto à perspetiva para a indústria Farmacêutica para os próximos 3 anos, a maioria dos profissionais têm uma perspetiva positiva relativamente à atividade da indústria farmacêutica. De facto, 68% da amostra tem uma perspetiva boa ou muito boa para a indústria farmacêutica para os próximos 3 anos. Em contraste 33% da amostra tem uma perspetiva negativa para a indústria farmacêutica. Porém, apenas 2% tem uma perspetiva muito má, um valor inferior aos 5% dos participantes que têm uma perspetiva muito boa para a indústria para os próximos 3 anos.

Quando de comparam as perspetivas nos diferentes horizontes temporárias pode-se observar que os participantes do estudo estão mais negativos a curto prazo, mas mais positivos a médio prazo. Assim, 62% da amostra tem uma perspetiva positiva a 12 meses, mas a três anos o valor sobe para 68%. Inversamente 38% da amostra está negativa a 12 meses, porém o valor decai para 32% numa perspetiva a 3 anos. Pode-se concluir que para alguns dos participantes a indústria poderá estar a passar por uma crise de curto prazo.

Porém, comparativamente com 2019, pode verificar-se uma pioria nas expetativas a médio prazo. As expetativas a 3 anos em 2023 são piores do que a expetativas a 3 anos em 2019. Em 2019 79% da amostra tinha expetativas positivas em 2023 esse valor baixa para 68%. Em 2019 21% dos participantes tinham expetativas negativa para industria farmacêutica, porém este valor agrava-se, e em 2023 32% da amostra tem uma expetativa negativa.

À semelhança da perspetiva de curto prazo, a ocupação profissional do participante do estudo tem também influência na perspetiva a 3 anos. Neste caso a grande maior parte dos profissionais da área do marketing – 92% - estão positivosrelativamente à indústria farmacêutica para os próximos 3 anos. Num cenário a 3 anos, há menos diretores, administradores e profissionais da área comercial com uma perspetiva positiva comparativamente aos profissionais de marketing.

No que diz respeito a perspetivas de investimento no próximo ano, cerca de metade dos participantes afirma que as suas organizações irão manter o seu nível de investimento. Contudo, existem mais participantes a afirmarem que irão diminuir o seu nível de investimento do que aqueles que planeiam aumentar. De facto, 22% que afirmam que irão aumentar o seu investimento, porém 30% da amostra afirma que irá diminuir o seu investimento.

Comparando com os cenários de investimento de 2019, pode-se verificar que existe uma diminuição na apetência de investimento. Em 2019, 34% dos participantes afirmaram que as suas empresas iriam proceder a investimentos, em 2023 esse valor caiu para 22%.

Estes valores são coerentes quando se comparam os valores das perspetivas a 3 anos de 2019 e 2023. Pode concluir-se que há uma maior apreensão na indústria.

O indicador com a pior performance é o que avalia o potencial de uma carreira profissional numa empresa a operar na indústria farmacêutica, o Net Promoter Score (NPS). De acordo com os resultados, 40% dos inquiridos são detratores, ou seja, apresentam reservas na altura de recomendar uma carreira profissional em empresas da indústria farmacêutica. Apenas 10% da amostra claramente recomendaria uma profissão na indústria farmacêutica. Desta forma, o valor do NPS é de -30%, o que sinaliza que existem mais participantes a não recomendar uma carreira profissional na indústria farmacêutica comparativamente com aqueles que recomendam uma carreira nesta indústria.

Apesar de apresentar um valor negativo em 2023, o NPS é melhor do que o de 2019. De acordo com os resultados, 40% dos inquiridos são detratores, que é o mesmo valor de 2019. Porém, existem menos passivos: o valor decaiu de 50% em 2019 para 39% em 2023. Contrariamente, em 2023, 21% dos participantes recomendaria uma profissão na indústria farmacêutica. Assim, o valor do NPS é de -18.

Comparativamente com 2019, os valores do NPS em 2023 melhoraram substancialmente. Em 2023 existem mais pessoas a recomendar uma carreira profissional na indústria farmacêutica do que em 2019.

Assim, as expetativas a 3 anos são melhores do que a 12 meses e, mais relevante ainda, as expetativas de longo prazo e a recomendação de uma carreira na indústria, melhoraram relativamente a 2019.

Tal como foi referido, foram medidos nove fatores de possíveis constrangimentos na indústria farmacêutica. A relevância dos fatores e seu impacto na indústria foi medida pela qualidade do sono dos participantes do estudo.

Os quatro fatores que mais preocupam os participantes do estudo são o **desinvestimento no SNS,**que retira o sono a 66% dos participantes, o aumento do preço das matérias-primas, que retira o sono a 62%, a diminuição do headcount, com impacto negativo no sono de 58% da amostra, e a evolução da economia, com um impacto negativo na qualidade do sono em 57% dos participantes do estudo.

As dívidas do setor público preocupam 45% da amostra, o ambiente laboral tem um impacto negativo no sono de 45% da amostra, a incerteza fiscal tem um impacto negativo em 44% e a alteração dos preços dos medicamentos impacta 38% da amostra. O fator potencial aumento da concorrência afeta apenas o sono a 23% da amostra.

Conclusões:

· A maior parte dos participantes (68%) têm uma perspetiva positiva para os próximos 12 meses e a mesma proporção de participantes (68%) tem uma perspetiva positiva para os próximos 3 anos.

· Em 2023 há mais participantes com uma perspetiva negativa, quando se compara com 2019.

· O nível de investimento planeado para 2023 é mais reduzido do que o de 2019.

· Existe, assim, um ambiente de desconfiança relativamente à atividade que fica evidenciado pelas perspetivas de investimento as empresas.

· Porém, apesar de haver uma perspetiva mais negativa para a indústria farmacêutica e uma intensão de redução de investimento, existe mais participantes a recomendar uma profissão na indústria farmacêutica em 2023quando se comparando com 2019.

· Os participantes do estudo estarão mais desconfiados com a indústria farmacêutica no curto prazo.

· A evolução da economia, o desinvestimento no SNS, o aumento do preço das matérias-primas são alguns dos fatores que mais preocupam os participantes do estudo.

· O preço das matérias-primas tem um maior impacto no curto prazo e existe uma menor preocupação no médio prazo.

· Ao nível do preço dos medicamentos, este fator é mais preocupante no médio prazo e menos no curto prazo.

· Os profissionais do marketing da indústria farmacêutica são os que estão mais otimistas.

Participaram no estudo todos aqueles que trabalham numa empresa da indústria farmacêutica e que recebem as newsletters da revista Marketing Farmacêutico. Foram, assim, enviados 1750 e-mails com o inquérito para a base de dados da Revista Marketing Farmacêutico. Do universo de 1750 participantes obtiveram-se 132 respostas válidas. Os dados foram recolhidos entre 8 e 20 de março de 2023.

É possível ver o artigo e relatório completo na revista Marketing Farmacêutico.

IPAM desafia alunos a viverem o dia a dia da gestão do Marketing de uma empresa através de competição online
1 fevereiro 2024
Ler mais
Pós-graduação em Marketing Digital atingirá a 100.ª edição este ano
8 fevereiro 2024
Ler mais
Share
Lisboa: +351 210 205 702Porto +351 220 280 502Online: +351 210 205 702