"Mas, afinal, para que servem as redes sociais?"

  • Início
  • Blog
  • "Mas, afinal, para que servem as redes sociais?"

"Mas, afinal, para que servem as redes sociais?"

27 setembro 2021

Eu sei. Estavas a pesquisar tranquilamente por pós graduação marketing digital no teu motor de pesquisa favorito (deixa-me adivinhar qual é...) e foste parar a uma página onde aparecem vários anúncios, seguidos de perto por resultados que aparentam responder às tuas perguntas mais óbvias, e ainda uma série de resultados escritos “sabe-se lá por quem” com origem em redes sociais. Pior. Fizeste isto tudo no teu smartphone e o scroll nunca mais acaba.

Difícil mesmo é escolher a melhor fonte para esclarecer as dúvidas, não é verdade? E, se fores como eu, raramente vais sair da primeira página de resultados. É para isso que o algoritmo do Google (e de outros motores de pesquisa menos utilizados) trabalham. Para te dar os resultados mais relevantes primeiro.

Pois ficas a saber que este é um hábito comum a mais de 90% das pessoas em Portugal. Os seus dias começam sempre da mesma forma: em caso de dúvida, Google. Sim, Google. Porque é o motor de pesquisa mais popular por estas paragens. Mas isso também já sabias.

E por que é que tudo isto é importante? E tem isto a ver com redes sociais? Calma. Já lá vamos.

Segundo o relatório Digital in Portugal: All the Statistics You Need in 2021 cerca de 84% da população portuguesa tem pelo menos uma forma de aceder à internet. E cerca de 75% da população utiliza assiduamente as principais redes sociais (Youtube, Facebook, Instagram, Whatsapp, Tik Tok e Linkedin), especialmente através dos seus smartphones.

Seja para participarem (comentar, partilhar, gostar, recomendar,...) nas conversas existentes ou para criarem conteúdos novos. Ambos têm impacto no digital, com mais relevância nos resultados dos motores de busca. Parece que voltámos ao início? É mesmo.

Chama-se “Earned Media” e é um elemento fundamental em qualquer estratégia de marketing digital.

Noutro estudo - Edelman Trust Barometer Special Report: In Brands We Trust?- podemos encontrar este dado interessante: 63% das pessoas confia mais no que dizem os Influenciadores que seguem nas redes sociais do que as marcas dizem sobre si próprias, através de anúncios”.

E tu, em quem confias mais?

Este e outros temas fazem parte do plano de estudos da Pós-Graduação em Marketing Digital do IPAM onde são desenvolvidos com mais detalhe na disciplina de Social Media, em Lisboa.

Se te interessa saber mais, passa por aqui e dá uma vista de olhos aos testemunhos de antigos alunos deste curso.

Artigo de opinião de Nelson Pimenta, Director Digital no Grupo Renascença Multimédia e docente da Pós-Graduação de Marketing Digital do IPAM Lisboa.

Influencers ou (Des)Influencers
17 junho 2024
Ler mais
Consultor de Business Intelligence: funções e oportunidades no mundo do BI
7 junho 2024
Ler mais

Share

Lisboa: +351 210 205 702Porto +351 220 280 502Online: +351 210 205 702